Inclusão de gestantes em aulas de educação física em lubango, Angola: um problema atual (Original)

  • Aurélio Borges Bacia Jeremias Instituto superior de ciências de educação
  • Alexis Rafael Macías Chávez Universidad de Granma
Palabras clave: grávidas; inclusão; exclusão; Educação física

Resumen

Considerando os sérios riscos de saúde a que as estudantes adolescentes grávidas estão sujeitas por participar nas aulas de Educação Física, bem como pelo seu mau enquadramento das mesmas que resulta em exclusão. O artigo pretende partilhar com a comunidade científica algumas considerações teóricas para a prática de atividades físicas adaptadas ao contexto angolano e que contribuam sua incluso e para o desenvolvimento teórico-metodológico nos profesores. Faz muitos anos que se considera mundialmente como uma ferramenta indispensão a ter em conta antes, durante e depois dos tratamentos médicos e físicos à estas mulheres, como é o exemplo da Cuba. Embora esta realidade seja resultado do avanço da ciência, em angola particularmente no Município de caconda, Lubango não é assim, pois as gestantes são assaltadas polo medo pela quase inexistencia de assistencia física e profilatica, onde o crescente número de grávidas adolescentes, vê sua vida em rico, bem como a do futuro bebé pelo facto de se incorporar nas aulas de Educação física. Como que estas estivessem condenadas a vivenciar durante todos os partos que geralmente não são menos de seis, o circuito vicioso temor-tencão dor sendro por isso excluidas das aulas. Las consideraciones son reultantes de una investigación desarrollada com estudantes adolescentes grávidas nas aulas de Educação Física da 9ª Classe do Colégio 1149 “22 de Novembro” Caconda.

Citas

1- Álvarez, S. (2001). Temas de Medicina General Integral. Tomo I y II. La Habana: Ciencias Médicas.
2- Amparo, O. (2009). Adecuación al programa psicoprofilaxis de actividad física para embarazadas. La Habana: Revolucionaria.
3- Assunção, M. (2012). Lei n.º 51/2012, de 05 de Setembro. Estatuto do aluno e ética escolar (versão actualizada)
4- Baracho, E. (2007). Fisioterapia aplicada à obstetrícia. 3ª Ed: Rio de Janeiro.
5- Batista, D. (2003). Actividade Física e Gestação: saúde da gestante e crescimento fetal. São Paulo.
6- Castellani, L. (2004). Educação Física no Brasil. São Paulo: Papirus
7- Costa, G. (2009). Avaliação do cuidado à saúde da gestante no contesto do programa saúde da família. Habana: Pueblo y Educación.
8- Londrina, A (2013). Manual da gestante. Safeliz.
9- Mariano, E. (2014). O papel do professor de educação física para a promoção da saúde em mulheres gestantes: Corumbá – MS.
10- Navarro, D. (2008). Atividade Física Comunitária. (Tesis de maestría). Universidad de Ciencias de la Cultura Física y el Deporte. La Habana.
11- Núñez, F. (2001). Psicología y Salud. Ciudad de la Habana: Ciencias Médicas.
12- Rodríguez, V. (2008). Adecuación al programa nacional de gimnasia para las embarazadas, desde su entorno familiar. (Tesis de maestría). Universoidad de Ciencias de la Cultura Física y el Deporte. La Habana.
13- Ruiz Aguilera, Ariel. (2007). Teoría y metodología de la Educación Física y el deporte escolar. 3ra edición. Santo Domingo, APLUSELE.
14- Read, D. (1993). Exercícios para gestantes das comunidades: Molis.
15- Reyes, U. (2010). Adecuación de acciones educativas al programa degimnasia para embarazada. (Tesis de maestría). Facultad de Cultura Física. Granma.
16- Sampier, R. (2003). Metodología de la investigación. La Habana: Félix Varela
Publicado
2019-06-01
Cómo citar
Bacia Jeremias, A., & Macías Chávez, A. (2019). Inclusão de gestantes em aulas de educação física em lubango, Angola: um problema atual (Original). Revista Científica Olimpia, 16(55), 21-33. Recuperado a partir de https://revistas.udg.co.cu/index.php/olimpia/article/view/804
Sección
Artículos