Formação da Alemanha Oriental - parte 1(Revisão)

Autores/as

Palabras clave:

política; guerra; Alemanha; economia

Resumen

O objetivo da revisão foi explicar como foi criada a Alemanha Oriental e como essa nação foi sovietizada. A parte 1 explicou como a Alemanha participou da 1ª e 2ª Guerra Mundial, ainda informou como foi formada a República Democrática Alemã (RDA). A parte 2 informou como a RDA foi sovietizada no período de 1949 a 1989. Em conclusão, a RDA era um capitalismo estatal com alguns benefícios da Revolução Russa de 1917.

Descargas

Los datos de descarga aún no están disponibles.

Biografía del autor/a

  • Nelson Kautzner Marques Junior , RJ. Brasil

    Mestre em Ciência da Motricidade Humana pela UCB

Referencias

Agostino, C., e Silva, F. (2015). 1ª guerra mundial. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 334-342). Vol. 1. Rio de Janeiro: Elsevier.

Agostino, C., e Silva, F. (2015b). Blitzkrieg. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 22-24). Vol. 2. Rio de Janeiro: Elsevier.

Aquino, R. (2015). Eixo, potências do. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 70). Vol. 2. Rio de Janeiro: Elsevier.

Almeida, P. (2009). Um outro mundo possível: alternativas históricas da Alemanha, antes e depois do muro de Berlim. Revista Espaço Acadêmico, 19(102), 25-39.

Azevedo, A., e Koehler, C. (2020). Eugenia na Alemanha nazista – o racismo como política de estado. Revista Scientiarum História, 1(281), 1-8.

Bach, J. (2014). Material cultures of nostalgia in former East Germany. Anthropology and Nostalgia (p. 123-138). s.l.: s.ed.

Barbosa, E. (2023). Educação nazista. (Monografia). Pedagogia, PUC Goiás.

Barros, J. (2023). Mein Kampf: um texto nazista em seus dois momentos. História: Questões e Debates, 1(71), 226-263.

Bathelt, H. (2009). Re-bundling and the development of hollow clusters in the East German chemical industry. European Urban and Regional Studies, 16(4), 363-381.

Bruen, J. (2014). From dictatorship to democracy? The impact of the collapse of the GDR on political education in its schools. Journal of Political Science Education, 10(-), 315-330.

Bruns, F., König, C., Frese, T., e Schildmann, J. (2023). General practice in the GDR (1949-1990). Wiener Klin Wochenschrift, 135(-), 45-51.

Bugiato, C., e Berringer, T. (2023). O debate marxista sobre o imperialismo pós-II guerra mundial. Revista Princípios, -(166), 133-149.

Butter, A. (2017). Showcase and window to the world: East Germany architecture abroad 1949-1990. Planning Perspective, -(-), 1-23.

Cabral, R. (2015). Imperialismo e império. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 207-210). Vol. 1. Rio de Janeiro: Elsevier.

Campa, P., e Serafinelli, M. (2019). Politic-economic regimes and attitudes: female workers under state socialism. Review of Economics and Statistics, 101(2), 233-248.

Chauliac, M. (2011). Ostalgia sem lamento... Revista Memória em Rede, 2(5), 56-70.

Cheruvu, S. (2023). Education, public support for institutions, and the separation of powers. Political Science Research and Methods, 11(-), 570-587.

Coelho, H. (2010). Portela: um modelo na difusão da periferia. (Mestrado em arquitetura). ISCTE-IUL, Lisboa, Portugal.

Coggiola, O. (2015a). Alemanha 1918-1924: hiperinflação e revolução. São Paulo: s. ed.

Coggiola, O. (2015b). O craque de 1929 e a grande depressão da década de 1930. São Paulo: s. ed.

Coggiola, O. (2015c). A segunda guerra mundial: causas, estrutura, consequências. São Paulo: s. ed.

Coggiola, O. (2017). História do capitalismo: das origens até a primeira guerra mundial. Vol. 3. Santiago: Aridna.

Colombo, A., e Favorato, D. (2020). John Maynard Keynes Étienne Mantoux: deduções divergentes sobre o Tratado de Versalhes. Revista de Economia, 16(2), 210-214.

Cornelsen, E. (2009). Transpondo muros: escritas da violência na RDA. Pandaemonium Germanicum. Revista de Estudos Germanísticos, -(13), 25-57.

Dale, G., e Korica, V. (2023). Varietes of capitalism or variegated state capitalism? Business History, 65(7), 1242-1274.

Deter, G., e Lange, M. (2023). Are the supporters of socialism the losers of capitalism. European Journal of Political Economy, 76(-), 1-16.

Domingos, C., Lima, L., e Collovini, R. (2019). O muro de Berlim: símbolo maior da guerra fria. Temporalidade, 11(3), 388-407.

Dondoli, V. (2018). Per una cultura del non consumo nella Germania socialista tra scuola e propaganda (1945-1989). Rivista di Storia dell` Educazione, 1(-), 419-437.

Effinger, B., e Smidt, M. (2011). Differences in women`s employment patterns and family policies. Eastern and Western Germany. Community, Work and Family, 14(2), 217-232.

Fernandes, M. (2014). A reunificação política da Alemanha (1989/1990): no contexto das relações entre as grandes potências. Lusíada. Política Internacional e Segurança, S1(10), 83-123.

Freitas, J. (2022). Alemanha aquém da guerra: 1919-1939. (Dissertação de Mestrado). Universidade dos Açores.

Frotscher, M. (2015). Muro de Berlim. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 386-387). Vol. 1. Rio de Janeiro: Elsevier.

Gomes, B. (2021). Nível de conhecimento e risco de doping. (Dissertação). Ciência Odontológica, USP.

Goulart, I. (2014). O socialismo soviético e o ateísmo na extinta RDA. (Monografia de bacharel em relações internacionais). UNISUL, Florianópolis.

Harsch, D. (2000). Communists and women in East Germany, 1945-9. Social History, 25(2), 156-182.

Hilmar, T. (2023). Restoring economic pride? How right-wing populists moralize economic change. Journal of Contemporary European Studies, 31(2), 291-305.

Hong, K. (2023). Did the second world war, more so than the first world war, exemplify the chacarcter of total war? Ponter Journal of the Saf, -(-), 1-10.

Hornuf, L., Rieger, M., e Hartmann, S. (2023). Can television reduce xenophobia? The case of East Germany. Kyklos, 76(-), 77-100.

Horz, C., e Marbach, M. (2020). Economic oppotunities, emigration and exit prisoners. British Journal of Political Science, -(-), 1-20.

Jenkins, J. (2014). A system of joyful colour and its disruptions: architecture colour in the GDR. Architectural Theory Review, 19(2), 1-10.

Jurt, J. (2012). O Brasil: um estado-nação a ser construído. MANA, 18(3), 471-509.

Kamienski, L. (2002). Las drogas la guerra: una historia global. s. local: Crítica.

Kranz, S. (2005). Women`s role in the German Democratic Republic and the state`s policy toward women. Journal of International Women`s Studies, 7(1), 69-83.

Lara, E. (2012). A economia alemã: 1933. (Monografia). Curso de Ciências Econômicas, UNESP.

Lênin, V. (1917). El imperialismo, fase superior del capitalismo. Madrid: Fundación Frederico Engels.

Lenz, S. (2013). Memórias na Alemanha atual. Cadernos do Tempo Presente, -(13), 38-48.

Limonic, F. (2015). Grande depressão. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 186-189). Vol. 1. Rio de Janeiro: Elsevier.

Lopez, F., Ortega, J., e Mattos, C. (2020). Ensino de ciências como controle do Estado: o caso da Alemanha nazista. Revista Ensaio, 22(-), 1-26.

Magallón, L. (2009). Una mirada global del periodismo deportivo. Razón y Palabra, 14(69), 1-13.

Marques, A. (1990). Sobre a utilização de meios de preparação geral na preparação desportiva (II). Treino Desportivo, 2(15), 55-62.

Marques Junior, N. (2015). Breve história sobre o doping. Lecturas: Educación Física y Deporte, 19(20), 1-4.

Marques Junior, N. (2021). O esporte na antiga Iugoslávia – parte 1. Revista Edu-fisica.com: Ciencias Aplicadas al Deporte, 13(27), 80-100.

Marques Junior, N. (2022a). Escola socialista do treinamento esportivo: a preparação do atleta. Revista Actividad Física y Ciencias, 14(1), 55-75.

Marques Junior, N. (2022b). Periodização para o esporte contemporâneo. Revista de Investigación Cuerpo, Cultura y Movimiento, 12(2), 1-22.

Marques Junior, N. (2022c). O esporte na antiga União Soviética – parte 2. Revista Edu-fisica.com: Ciencias Aplicadas al Deporte, 14(29), 80-101.

Marques Junior, N. (2022d). Esporte da Polônia da “cortina de ferro”. Revista de Investigación Cuerpo, Cultura y Movimiento, 12(1), 1-26.

Marques Junior, N. (2022e). O esporte na antiga União Soviética – parte 1. Revista Edu-fisica.com: Ciencias Aplicadas al Deporte, 14(30), 31-51.

Marques Junior, N. (2023a). Periodização de microestrutura: o treino cognitivo. Revista Olimpia, 20(3), 208-227.

Marques Junior, N. (2023b). O esporte na antiga Iugoslávia – parte 2. Revista Olimpia, 20(4), 75-96.

Masterson, T. (2023). The Wehrmacht experience in World War II. (These). City University of New York.

Matos, M. (2010). Postigos para o mundo: cultura turística e livros de viagens da RDA (1949-1989/90). Ribeirão: Universidade do Minho. 2010.

Matos, M. (2022). Realpolitik e teoria da tripolaridade: causas da derrota de Hitler na segunda guerra mundial. Revista Agenda Política, 10(1), 257-282.

Mesquita, Y., e Sattler, J. (2023). A importância do sustento nutricional no campo de batalha. Revista Contribuciones a las Ciencias Sociales, 16(8), 11730-11756.

Meneses, N. (2023). A educação básica na Alemanha nazista. Revista Horizontes Históricos, 6(1), 164-175.

Menzel, J.; Menzel, U. (2016). Nascidos em um país que não existe mais. Revista Tempo e Argumento, 8(18), 470-487.

Michel, J., Miller, M., e Peters, M. (2023). How authoritarian governments decide who emigrates: evidence from East Germany. International Organization, 77(3), 527-563.

Möller, R. (2008). História do esporte e das atividades físicas. São Paulo: Ibrasa.

Miranda, M. (2015). Conferência de Potsdam. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 47-49). Vol. 2. Rio de Janeiro: Elsevier.

Nickel, H. (1998). Women and women`s policies in East and West Germany. Em. E. Kolinsky (Ed.). Social transformation and the family in post-communist Germany (p. 23-36). London: MacMillan.

Noguchi, M. (2022). A humanidade de monstros: o soldado alemão no front russo (1942-1945). Revista Ensaios de História, 23(1), 87-106.

Pacheco, M. (2022). Identidade alemã antes e depois da queda do muro de Berlim. Revista da APG, 1(1), 105-125.

Pietsch, K., e Gras, F. Athletic activities in the life of students and graduates in the GDR. International Review for the Sociology of Sports, 21(1), 323-337.

Pitillo, J. (2015). Invasão da URSS. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 139-142). Vol. 2. Rio de Janeiro: Elsevier.

Plath, R. (2022). O que a história diz sobre a constituição, desenvolvimento e queda da Alemanha nazista. Revista Terra e Cultura, 38(75), 201-214.

Porto, R., e Silva, M. (2019). Tratado de Versalhes: sanções para a paz? Anais do 2º Encontro Internacional, História e Parcerias - ANPHUR.

Pradales, D. (2017). Compendium of economic and industrial history of the GDR. (Grado em Ingeniería em Organización Industrial). Universidad de Vallodolid.

Ramet, S. (2023). East central Europe and communism. London: Routledge.

Roberts, T. (2023). Living with the Stasi. Armstrong Undergraduate Journal of History, 13(1), 1-13.

Rodrigues, F., e Azevedo, U. (2021). Hitler: como um alto QI domina e convence. BJD, 7(3), 11678-11689.

Rubin, E. (2006). The form of socialism without ornament. Journal of Design History, 19(2), 1-14.

Rubin, E. (2009). The Trabant: consumption, eizen-sinn, and movement. History Workshop Journal, 68(-), 27-44.

Santos, C. (2015). Armamentismo. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 33-36). Vol. 3. Rio de Janeiro: Elsevier.

Santos, H. (2021). “Ostalgie” e a RDA. Outros Tempos, 18(31), 87-110.

Schömann, K., Becker, R., e Zühlke, S. (1997). Further education and occupational careers in East Germany. Vierteljahrshefte zur Wirtschaftsforschung, 66(1), 187-196.

Sequeira, F. (2022). O cinema como meio de difusão ideológica e manipulação de massas. (Dissertação de Mestrado). Universidade do Minho.

Silva, F. (2015). Fascismo na Alemanha. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 83-89). Vol. 2. Rio de Janeiro: Elsevier.

Silva, M., e Sousa, A. (2023). A estética nazista e o regime autoritário. Revista Alpha, 24(1), 104-117.

Sbrocco, F. (2011). A Alemanha no período entre guerras. (Monografia). Departamento de Economia, UNESP.

Schröder, L. (2022). A persuasão na propaganda nazista durante o terceiro Reich (1933-1945) e sua influência na sociedade alemã. (Curso de Ciências Militares). Academia Militar das Agulhas Negras.

Scocozza, C. (2015). La primeira guerra mundial. Un conflicto que llega desde el este. ACHSC, 42(2), 161-176.

Steinert, C. (2023). The impact of domestic surveillance on political imprisonment: evidence from the Germanic Democratic Republic. Journal of Conflict Resolution, 67(1), 38-65.

Trappe, H., e Rosenfeld, R. (2000). How do children matter? A comparison of gender earnings inequality for young adults in the former East Germany and the former West Germany. Journal of Marriage and the Family, 62(-), 489-507.

Tubino, M. (1993). Metodologia científica do treinamento desportivo. 11ª ed. São Paulo: Ibrasa.

Valente, V. (2022). A construção do fim: um estudo sobre a reconstrução da economia alemã. (Monografia). Ciências Econômicas, UNICAMP.

Varela, R. (2019). O pacto social europeu 1945 e a união europeia. Tempo e Argumento, 11(26), 574-600.

Vianna, A. (2015a). STASI. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 551). Vol. 3. Rio de Janeiro: Elsevier.

Vianna, A. (2015b). COMECON. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 121). Vol. 3. Rio de Janeiro: Elsevier.

Vianna, A. (2015c). Privatizações no leste europeu. Em. F. Silva, S. Medeiros, e A. Vianna (Orgs.). Enciclopédia de guerras e revoluções (p. 471-473). Vol. 3. Rio de Janeiro: Elsevier.

Zofka, J. (2023). The China market: East German and Bulgarian industrial facility export to the PRC in the 1950s. European Review of History, 30(3), 452-472.

Publicado

2024-02-03

Cómo citar

Formação da Alemanha Oriental - parte 1(Revisão). (2024). Revista científica Olimpia, 21(2), 01-29. https://revistas.udg.co.cu/index.php/olimpia/article/view/4388

Artículos más leídos del mismo autor/a