Violência doméstica em Ndalatando: causas e consequências. (Original)

  • Silvestre Paulo Cardoso Galho Escola Superior Pedagógica do Kwanza Norte

Resumen

O presente artigo visou compreender as causas e consequências da violência doméstica em Ndalatando, município do Cazengo, província do Cuanza Norte. A população do estudo foi constituída por 42 pessoas das quais 30 foram entrevistadas nas instalações no Centro de Aconselhamento Familiar do actual Gabinete Provincial de Acção Social, Família e Igualdade de Género e, outras 12 na Escola Superior Pedagógica do Kwanza Norte (ESPKN). O presente estudo reveste-se de capital importância, pela necessidade de se compreender de forma clara e eficaz as causas e consequências da violência doméstica no contexto angolano de modo geral, e em Ndalatando em particular. Assim, pensamos que analisando de forma cautelosa as causas da violência doméstica, estaremos em melhores condições para futuramente propor medidas estratégicas de prevenção da mesma a nível local e, no país de modo geral, diminuindo as suas nefastas consequências para as famílias angolanas. O referencial teórico foi sustentado maioritariamente pelo modelo de Walker por ser o que melhor se enquadra no paradigma psicoafectivo das relações de intimidade conjugal e, ao modelo ecológico do crime. Dentre as causas da violência doméstica, destacam-se o ciúme, a infidelidade conjugal mútua, o desemprego, a falta de diálogo, a falta de recursos financeiros, o consumo de bebidas alcoólicas, entre outras. Como consequência, a violência doméstica desestrutura as famílias, cria a diminuição do afecto no seio familiar e graves consequências psicológicas.

Descargas

La descarga de datos todavía no está disponible.

Biografía del autor/a

Silvestre Paulo Cardoso Galho, Escola Superior Pedagógica do Kwanza Norte

Professor Assistente

Citas

Barroso, Z. (2007). Violência nas relações amorosas. Lisboa: Edições Colibri e Socinova.
Centro de Aconselhamento Familiar do Departamento da Família e Igualdade de Género de Ndalatando – Kwanza Norte. Ndalatando (2015). Mapa Estatístico.
Centro de Aconselhamento Familiar do Departamento da Família e Igualdade de Género de Ndalatando – Kwanza Norte. Ndalatando (2016). Mapa Estatístico.
Centro de Aconselhamento Familiar do Departamento da Família e Igualdade de Género de Ndalatando – Kwanza Norte. Ndalatando (2017). Mapa Estatístico.
Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género (2016). Violência Doméstica:implicações sociológicas, psicológicas e jurídicas do fenómeno. Lisboa: Centro de Estudos Judiciários.
Comissão para a Cidadania e Igualdade de Género [CIG] (2010/2011). Serviço de informação a vítimas de violência doméstica. Lisboa.
Development Workshop (2009). Transitional Justice in Southern Africa. Preliminary Strategic Guidelines for addressing Violence in Angola: Results of a Needs Assessment.CSVR, Centro Internacional para Justiça Transicional e Universidade de Oslo.Realizado em Luanda. Disponível em: http://www.csvr.org.za/index.php?option=com_content&view=
article&id=1782%3Atransitional-justice-in-southern-africa-preliminary-strategic-guidelines-for-addressing-violence-in-angola-results-of-a-needs-assessment-workshop-held-in-luanda&Itemid=29. (Acedido a 12 de Dezembro, 2018).
INE (2013). Inquérito Integrado Sobre o Bem-Estar da População, IBEP. Relatório – Vol.3. Perfil da Pobreza. Luanda: Instituto Nacional de Estatística.
INE (2016). Resultados Definitos do Recenseamento Geral da População e da Habitação de Angola 2014, Luanda: Instituto Nacional de Estatística.
Lei nº 25/11 de 14 de julho. Publicada no Diário da República I Série, nº 133 – Lei contra a Violência Doméstica.
Nascimento, E. de F. G. Alves do; Ribeiro, A. P.; De Souza, E. R. (2014). Perceptions and practices of Angolan health care professionals concerning intimate partner violence against women. Cadernos de Saúde Pública, 30 (6), 1229-1238. https://dx.doi.org/10.1590/0102-311X00103613
Nzatuzola, J. B. L. (2005). Gender and Family life in Angola: Some aspects of the post-war conflict concerning displaced persons. African Sociological Review, 9, (2), 2005.
Quaresma, C. (2012). Violência doméstica: Da participação da ocorrência à investigação criminal Lisboa: Cadernos da Administração Interna 4, Colecção Direitos Humanos e Cidadania.
Redvers, L. (2011). Angola: Law on Domestic Violence a Step Forward for Women’s Rights. Johannesburg: IPSNEWS. Disponível em: http://www.ipsnews.net/2011/07/angola-law-on-domestic-violence-a-step-forward-for-womenrsquos-rights/ (Acedido em 29 de Maio, 2019).
Strønen, I. Åsedotter & Nangacovie, M. (2016). Violência contra a mulher no contexto da pobreza urbana em Angola. Bergen: Chr. Michelsen Institute (CMI Brief vol. 15 no. 16). Disponível em: https://www.cmi.no/publications/5977-violencia-contra-a-mulher-no-contexto-da-pobreza (Acedido a 30 de Outubro de 2017).
US State Department (2009). Human Rights Report: Angola. Disponível em: http://www.state.gov/j/drl/rls/hrrpt/2009/af/135937.htm# (Acedido a 08 de Setembro, 2019).
World Economic Forum (2015). The Global Gender Gap Report 2015. Cologny/Geneva: World Economic Forum.
Publicado
2020-01-14
Cómo citar
Cardoso Galho, S. (2020). Violência doméstica em Ndalatando: causas e consequências. (Original). Roca. Revista Científico - Educacional De La Provincia Granma, 16, 71-85. Recuperado a partir de https://revistas.udg.co.cu/index.php/roca/article/view/1226
Sección
Artículos