PLANEJAMENTO TERRITORIAL E ECONOMIA POPULAR: OS PARQUES ECONÔMICO-AMBIENTAIS COMO PROPOSTA DE POLÍTICA REGIONAL (Original)

  • Adão Francisco-de Oliveira UFT/Porto Nacional
Palabras clave: Planejamento Territorial; Economia Popular; Desenvolvimento Regional; Parques Econômico-ambientais; Tocantins

Resumen

Esse trabalho consiste num esforço de articulação teórica, através de revisão bibliográfica, para propor um modelo de política pública territorial de desenvolvimento regional, intitulado de Parques Econômico-Ambientais. Parte-se da redefinição teórico-conceitual que nas décadas de 1960/70 conceberam a ideia de Planejamento Territorial em detrimento da ideia de um Planejamento Urbano e Regional fincado em teorias ortodoxas e positivistas, para a contextualização das políticas regionais da ocupação do Cerrado e da Amazônia brasileira. Logo após, situa-se a nova proposta de política territorial apresentando os seus fundamentos na Economia Popular, mediante a criação de Arranjos Produtivos Locais. Por fim, esse artigo apresenta as características dos Parques Econômico-Ambientais, ilustrando-o a partir da realidade do Estado do Tocantins, Brasil.

Biografía del autor/a

Adão Francisco-de Oliveira, UFT/Porto Nacional

Doutor em Geografia e professor da graduação e da pós-graduação em Geografia da UFT/Porto Nacional.

Publicado
2018-10-03
Cómo citar
Francisco-de Oliveira, A. (2018). PLANEJAMENTO TERRITORIAL E ECONOMIA POPULAR: OS PARQUES ECONÔMICO-AMBIENTAIS COMO PROPOSTA DE POLÍTICA REGIONAL (Original). Redel. Revista Granmense De Desarrollo Local, 2(3), 162-176. Recuperado a partir de http://revistas.udg.co.cu/index.php/redel/article/view/124
Sección
Artículos